quarta-feira, abril 19, 2006

"De sol a sol me disponho
Para sonhar de uma vez;
Mas tenho medo de que o sonho
Seja comprido, talvez...

Não desejo conservar-me
Parado; mas sinto lento
Todo e qualquer movimento
Que venha para levar-me...

E mesmo não vejo em roda
Quem me faça a despedida:
De mim esta gente toda
Anda alheia, distraída...

E, lá no fim, pode haver
Uma certa incompreensão
E ninguém me receber,
Ninguém me dar a mão...

Assim fico na distância
Dum desprezo pressentido;
Parado, preso, vestido
Da minha pobre jactância.

Resta-me o grito final
Da morte, medonho e firme;
E toda a gente há-de ouvir-me
E pressentir-me afinal!"

Adolfo Rocha (Miguel Torga)

1 Comments:

At 11:25 da tarde, Blogger Diana said...

"Posso dar um grito", também?

 

Enviar um comentário

<< Home