quinta-feira, dezembro 15, 2005

Crónicas de uma mulher desempregada I

Posso dizer que ainda não sinto a inevitabilidade do desemprego a pesar-me nos ombros, sinto mais algo parecido com um sentido de inutilidade que nem sequer me deixa concluir projectos aos quais acho piada e para os quais tenho efectivamente tempo de sobra. Tanta coisa que poderia fazer e que faço questão de iniciar mas que por uma qualquer razão também faço questão de não terminar. Tenho a ligeira sensação de que se começar a ocupar o meu tempo com algo mais do que simplesmente uma existência arrastada, vou ver-me a braços com um sonho de uma vida que eu não tenho.

Enfim, o que eu queria mesmo dizer é que não compreendo como é que as pessoas se podem queixar e dizer que o diploma do curso demora anos até estar pronto. Até porque a mim cheira-me que vou ter o dito cujo nas mãos e ainda vou andar a pastar pela face da terra à procura de um emprego que, pelo menos no nome, tenha alguma coisa a ver.

2 Comments:

At 9:59 da tarde, Blogger Diana said...

Porra, só faltava lá aquela do "Eu não andei 5 anos a estudar para ir trabalhar em blá blá blá"...

 
At 10:15 da tarde, Blogger Adriana said...

Ainda posso fazer alterações...

 

Enviar um comentário

<< Home