quinta-feira, dezembro 29, 2005

O segredo para uma vida feliz

Hoje sei que conheço, com grande probabilidade, o segredo para conseguir uma vida plena e feliz. Como não sou invejosa e gosto de ver os outros felizes (e também porque acho que está mais do que na hora de começar a continuar a escrever parvoíces) resolvi partilhar com o mundo (passem a palavra, por estranho que pareça e por razões que desconheço, nem toda a gente visita este blog).

Eu acho que uma das grandes fontes de infelicidade na vida das pessoas, resulta do tempo que passam à espera quando têm algum compromisso marcado. Perdem-se anos de vida à espera para apanhar um autocarro ou um comboio, à espera de sermos atendidos, p ex. num banco, num centro de emprego ou num consultório médico. Acordamos mais cedo porque temos de chegar duas horas antes não sei onde para garantir que somos atendidos. Saímos mais cedo de casa para termos a certeza que somos nós que esperamos pelo comboio porque este certamente não espera por nós. Todas estas situações são causa de desespero, perda de tempo e poderão ter consequências gravíssimas na vida de cada um (não vou enumerá-las, porque de certeza que são muitas).

Qual será, então, a solução para esta decadência de vida em espera? Chegar atrasado. Se não for atrasado, no mínimo mesmo em cima da hora.

E porque será que esta solução é tão fantástica? Porque se o atraso for mesmo sincero, há sempre hipótese de não se ser obrigado a adiar compromissos. Para além do que, é certo e sabido que a hora de menor fluxo é quando está tudo a ir embora, e não quando está tudo a chegar.

No meu caso, cheguei meia hora depois da hora da consulta. Acho que fiquei dois minutos à espera.

É claro que para tudo na vida existem excepções. O bom do segredo é saber quando utilizá-lo. Agora sejam felizes à vontade...


PS: Para quem quiser saber, e mesmo para quem não quiser, o tornozelo está oficialmente óptimo.

5 Comments:

At 10:16 da tarde, Blogger Diana said...

Esperar, para mim, é daquelas merdas que, no fundo, até são fixes. Acho que a espera é basicamente a essência da minha actividade mental. E, depois de ter pensado e escrito isto, sim, acho que entendi o que querias dizer.

 
At 11:51 da tarde, Blogger Adriana said...

Acho que com o teu comentário acabei de me convencer ainda mais daquilo que escrevi, agora em níveis mentalmente saudáveis.

 
At 10:24 da tarde, Blogger Diana said...

Nós sempre funcionámos bem juntas...

 
At 11:06 da tarde, Blogger A said...

o tempo que não é "desperdiçado" a esperar, as vezes é desperdiçado noutras coisas.
eu considero o meu tempo à espera util, é das alturas que sou obrigado a pensar para dentro.
mas muitas vezes, penso e espero demais

 
At 11:38 da tarde, Blogger Adriana said...

Eu estou cansada de só esperar e pensar, talvez por isso ache que se não pensasse vivia.

 

Enviar um comentário

<< Home