sexta-feira, setembro 16, 2005

O assassino que há em mim

Acabei d fazer um teste. Não que isto tenha algum particular interesse, mas se formos ver bem, nenhum dos posts que habitualmente escrevo tem, por isso tamos bem.

Passando ao que interessa, ou não, o teste destinava-se a averiguar qual o tipo de assassino cinematográfico que eu seria, caso fosse assassina, nos filmes... Eu não fiquei muito contente com o resultado, daí o post. Vir para aqui fazer uma análise das razões do meu descontentamento podia ser interessante, mas mais interessante que isso seria fazer uma análise de porquê o meu tipo cinematográfico de assassino é o hannibal lecter. Eu até gosto de porrada, e nunca me imaginei a comer, ou a gostar de comer, a carne do meu semelhante. Tal como me disseram, de certeza que a solução corresponde ao maior número de resultados de um determinado tipo, mas isso não me satisfaz porque a maioria dos respostas que eu dei não têm a ver com aquilo que eu pensaria que seria um típico hannibal lecter, mas pronto. Não repeti o teste, as respostas foram naturalmente aquilo que me apetecia responder na altura, por isso aceito, o meu tipo de assassino cinematográfico é o hannibal lecter, não estou orgulhosa, mas isso pouco diz sobre aquilo que eu gostaria de ser, diz mais sobre aquilo que presentemente seria mais propensa a concretizar (o que não melhora as coisas, mas pronto).

Resolvi explicitar o que em mim poderá ser de lecter, primeiro tendo em conta aquilo que me disseram nos resultados e depois aquilo que eu axo que é o lecter.

Aquilo que me disseram: sou inteligente, culta e gosto de saborear bom vinho e carne humana ao som d musica classica. sou xarmosa e tenho sorte com os homens q depois levo pra casa, f*** e cozinho...
- tendo isto em conta, convém esclarecer que o teste era para gajos e eu alterei a parte final.
- tirando a parte do inteligente, culta que gosta de saborear bom vinho e xarmosa, o resto não me xeira.

Aquilo que eu acho que é o lecter: nunca pensei muito sobre que tipo de assassino é o lecter, mas espero que seja alguém cuja aparente superioridade intelectual disfarça a necessidade de ser respeitado pelos "menos intelectuais". Gostaria de pensar que a parte de comer carne humana seja apenas uma mais do que triste escolha culinária.

Aquilo que eu tenho que pode ser comparável com a metáfora que é o lecter:
- gostar que me levem a sério;
- gostar de saber mais e saber que saber mais me faz bem;
- gostar de bom vinho;
- gostar do meu tempo sozinha.

No fundo, isto é uma brincadeira.
No fundo, é bom que pensem duas vezes antes de aceitarem um convite meu para jantar, sou capaz de não responder por mim.
No fundo, aquilo que interessa é que eu gosto muito de filmes e que fiquei triste por ser o lecter pq, no fundo, nao me imagino canibal. Mas pronto.

4 Comments:

At 6:56 da tarde, Blogger Diana said...

Axo q n percebi mt bem akilo de n te cheirar "tenho sorte com os homens q depois levo pra casa, f*** e cozinho..." em contraste com o resto (lol).

 
At 7:17 da tarde, Blogger Adriana said...

n m xeira q tenha sorte c os homens, n comento o resto e só digo q nunca cozinhei ninguém :p

 
At 8:14 da tarde, Blogger Diana said...

uhuhuh a Adriana tem 1 tabu

 
At 8:51 da tarde, Blogger Adriana said...

eu sabia kia dar merda. pronto, pq sou facilmente picável vou ter d esclarecer. s fosse esperta cagava, mas pronto. a frase em si nao faz sentido pq a sequência pra mim é impraticável. entre os três, continuo a dizer q nunca cozinhei ninguém.

 

Enviar um comentário

<< Home